Deputado Cabo Gilberto Silva defende prisão do ministro Alexandre de Moraes e repudia omissão do presidente do Senado Federal

Por Redação - Além do Fato em 04/12/2022 às 22:18:16

Em discurso durante uma audiência pública realizada no Senado Federal com vistas a debater exorbitâncias, excessos e ilegalidades de Alexandre de Moraes, do STF e do TSE, Cabo Gilberto, deputado estadual da Paraíba e deputado federal eleito no pleito de 2022, avaliou que o Brasil vive um Estado de Exceção em virtude de um golpe que, nos seus termos, "já foi dado".

O parlamentar declarou: "Já foi dado o golpe, como bem falou aqui o Deputado Filipe. O golpe já foi dado, Senador Girão! Só não vê quem não quer. Quando a nossa Lei Maior está sendo desrespeitada justamente por quem deveria ser o guardião da Constituição, está havendo golpe! Eu quero cumprimentar, em especial, V. Exa., um dos 20 Senadores que estão com coragem de cumprir o art. 49, que é o sistema de freios e contrapesos da nossa República brasileira, bem como o art. 52. Como bem falou o Deputado Daniel, no §10".

Citando omissões do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, assim como ingerências indevidas da Suprema Corte em outros poderes, ele pontuou: "Por que está nesta situação a nação brasileira, protestando? Porque o Senado, a Câmara dos Deputados e o Congresso Nacional foram desmoralizados".

Outrossim, ele avaliou que a Constituição Federal foi rasgada por ministros do STF e sugeriu que o Congresso Nacional vote a aplicação do artigo 142 com o intuito de restabelecer a lei e a ordem: "a nossa Constituição foi rasgada no seu art. 1º, no seu art. 5º, no seu art. 53, no seu art. 52, quando os Senadores não cumprem o seu dever, nos seus arts. 136, 137, no art. 129, que diz que o Ministério Público é o pai da ação penal, no seu art. 86, em que um ministro do STF abre vários inquéritos contra o Presidente da República sem a permissão da Câmara dos Deputados".

Dessa maneira, Cabo Gilberto repudiou a conduta de Pacheco, presidente do Senado Federal: "Temos que pressionar bastante o Senado Federal para não reeleger Rodrigo Pacheco Presidente do Congresso Nacional, porque, se assim o fizer, os Senadores continuarão a omissão. Quando eu digo Senadores, é a maioria. Ele não pode mais presidir esta Casa, porque está sendo uma vergonha para a democracia, omisso e prevaricando".

Nesta toada, ele concluiu: "Já que o Congresso está acovardado, como bem falou o Deputado Otoni de Paula, o Congresso não cumpre a sua missão constitucional, o povo não acredita mais no Congresso, então tem que ser votado o art. 142, para a garantia da lei e da ordem. Daí teremos, Desembargador, teremos a normalidade constitucional. Não com essa cortina de fumaça, passando pano como se estivessem defendendo o Estado de direito – porque eles enchem a boca para falar essa palavra – e a democracia, cassando Parlamentares, cassando cidadãos, prendendo pessoas de bem e censurando. Para finalizar, a prisão de Alexandre de Moraes urgentemente pelo bem da nação brasileira!".

Dessa maneira, Cabo Gilberto repudiou a conduta de Pacheco, presidente do Senado Federal: "Temos que pressionar bastante o Senado Federal para não reeleger Rodrigo Pacheco Presidente do Congresso Nacional, porque, se assim o fizer, os Senadores continuarão a omissão. Quando eu digo Senadores, é a maioria. Ele não pode mais presidir esta Casa, porque está sendo uma vergonha para a democracia, omisso e prevaricando".




Comunicar erro
Governo Federal

Comentários