Veneziano discute com PMs durante abordagem e acusa governador João Azevêdo de usar Polícia Militar em ações que visam prejudicar sua campanha

Por Redação - Além do Fato em 16/09/2022 às 04:49:18

Não é atribuição da Polícia Militar fiscalizar propaganda eleitoral. A não ser quando acontece algo que coloque em risco a ordem pública, a polícia não deve intervir em manifestação devidamente autorizada pela justiça eleitoral, que tem seus canais próprios para recebimento de denúncias e fiscais próprios. Não é o caso das manifestações promovidas pela coligação MDB-PT que apoia a candidatura de Veneziano Vital ao governo.

Na manhã de hoje, em Tavares, a Polícia Militar resolveu assumir por conta própria a fiscalização dos veículos de som que acompanhavam a manifestação em apoio às candidaturas de Veneziano Vital e Ricardo Coutinho. Os participantes tiveram que interromper o ato por exigência do comandante da operação. Como os policiais cumprem ordens é legítimo supor, como fez Veneziano, que essa atitude da PM siga orientações provenientes do governador candidato à reeleição.

"Vocês fazem isso para servir à candidatura do governo. Só fazem isso conosco. Vocês foram lá para Água Branca para ter contato com o comando do seu governador, que persegue vocês, para fazerem isso comigo. Faça com relação a eles?" protestou Veneziano, enquanto o comandante da operação, em pessoa, analisava detalhadamente os documentos do carro-de-som, sem encontar qualquer irregularidade.

Eis mais um retrocesso a que a Paraíba assiste, entristecida. A PM sendo usada para criar embaraços a candidato da oposição.

Veja o vídeo da abordagem policial e o protesto de Veneziano e do seu advogado:




Fonte: Leia Lúcio Flávio

Comunicar erro
Governo Federal

Comentários