Ciro Gomes rebate criticas sobre falta de apoio ao PT: 'Sou obrigado a andar com ladrão?'

Por Redação - Além do Fato em 09/07/2022 às 02:15:20

O ex-governador do Ceará e candidato à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT), se defendeu das críticas sobre sua ausência no segundo turno das eleições de 2018, que deu a vitória a Jair Bolsonaro.

Até hoje o pedetista é cobrado por uma viagem a Paris durante aquela campanha e pela sua falta de apoio ao candidato do PT, Fernando Haddad. Em entrevista para o Avesso Podcast, da Veja, Ciro deu sua versão da história, garantiu que votou e justificou a falta no palanque do petista.

"Sobre "Paris": essa história de que eu não voltei pro Brasil pra votar em 2018 é mentira. O que eu não fiz foi ir pra palanque. Eu sou obrigado a andar com ladrão? O Lula agarrado com Renan Calheiros. Pelo amor de Deus, eu tenho vergonha na cara", disse Ciro.

Na época, Lula estava preso em Curitiba e foi solto em outubro de 2019. Em 2018, Ciro teve 12% dos votos e ficou em terceiro lugar.

Comunicar erro
Governo Federal

Comentários